Mais importante que o destino é a jornada. Não sei exatamente em que o inventor deste ditado popular estava pensando no momento da criação. Mas a frase serve para uma infinidade de coisas, entre elas as viagens de carro. Muito mais que uma viagem de avião, uma road trip tem espaço quase infinito para o imponderável, no bom e no mau sentido. Assim como uma pane mecânica pode melar suas férias inteiras, a descoberta de uma nova atração no meio do caminho pode redesenhar o seu roteiro.

Aqui na região nordeste do Brasil, a road trip é um hábito muito comum. Isso porque há destinos pulverizados pelo mapa. Num raio de 400 quilômetros saindo do Recife, é possível alcançar a Paraíba inteira, o litoral sul do Rio Grande do Norte, o litoral norte de Alagoas e muito mais. Isso sem falar nas cidades do interior desses estados: Caruaru, Gravatá, Campina Grande, entre outras. Quem tiver disposição, pode escolher um destino diferente para cada feriado prolongado no ano.

No exterior, esse tipo de viagem ganha outras nuances. As paisagens podem ter relevo ou vegetação inexistentes no Brasil. As estradas, dependendo do país, são bem melhores que as nossas. Além disso, ler mapas e sinalizações é um exercício tremendo para o cérebro.

Todo este preâmbulo é para apresentar mais um post convidado aqui no blog. Desta vez quem chega por aqui é o André Orengel, advogado de Belém e um amigo com quem troco ideias sobre viagem há muitos anos. Ele já fez várias viagens de carro pelos Estados Unidos e topou escrever sobre a road trip mais recente que fez: de Miami a New Orleans. Convido vocês a embarcar pela viagem do André!

André Orengel numa das paradas de sua road trip

==============

Os americanos adoram longas viagens de carro. Os motivos para isso passam a ser evidentes uma vez que você desbrava as estradas por lá. Primeiramente, é um tipo de viagem mais econômico para as famílias, substituindo as passagens de avião por gasolina (que é barata nos EUA). O segundo ponto é algo que o brasileiro entenderá de imediato: as estradas são ótimas, sem buracos, bem sinalizadas e com pistas amplas. E, em terceiro lugar, vários trajetos apresentam uma infinidade de atrações, que atendem a todos os gostos.

Neste artigo sugiro uma road trip de Miami a New Orleans, em sete dias. O roteiro é baseado em viagens feitas por mim nos últimos dois anos. Entre as atrações, estão paisagens paradisíacas, praias, pântanos, cidades históricas, museus dos mais variados e muito mais. Mas a rota não é totalmente fechada. Você pode adicionar pelo menos três dias para conhecer as vibrantes cidades de New Orleans e Miami (ao final). Além disso, há ainda a possibilidade de esticar um pouco para aproveitar os sempre divertidos parques temáticos de Orlando.

O mapa da sua road trip

A Chegada

Se você chegar aos Estados Unidos pelo Aeroporto Internacional de Miami, você pode alugar seu carro lá mesmo. Veja aqui uma lista com as locadoras disponíveis. Mas não comece sua road trip logo de cara. Aproveite o dia de chegada para descansar, hospedando-se em algum hotel localizado na cidade de Homestead, ao sul de Miami. Isso porque o seu primeiro destino é o arquipélago mais ao sul ligado aos Estados Unidos continental: as Florida Keys. Se você curte hambúrguer, pare no caminho no Shake Shack de Coral Gables (1450 South Dixie Highway, 33146) e delicie o famoso Shack Stack.

 

1o Dia – Florida Keys

Inicie sua road trip com uma parada no Robert Is Here (19200 SW 344th St, Homestead, FL 33034), uma enorme fazenda com venda de frutas, para comprar smoothies e lanches para a viagem. Depois, siga em direção à Key West, a última ilha habitada das Florida Keys, localizada a cerca de 145km de Cuba. O caminho é por uma estrada que tem 42 pontes (a maior com mais de 11km de extensão). Para encher os olhos, há belas paisagens do Oceano Atlântico de um lado e do Golfo do México do outro.

Sua segunda parada será na ilha de Key Largo, no John Pennekamp Coral Reef State Park (102601 Overseas Hwy, 33037). É o primeiro parque marinho dos Estados Unidos e o melhor lugar para mergulhar ou fazer snorkel na região. Se você curte esportes aquáticos, aproveite a oportunidade e marque um tour com antecedência. Caso não embarque em um passeio aquático, entre no centro de visitantes para aprender sobre o ecossistema dos corais da região.

A seguir, pare no Robbie’s Marina (77522 Overseas Hwy, Islamorada, FL 33036). Mais do que apenas um píer, este local conta com uma feirinha de artesanato típico das Keys. Além disso, você pode comprar um balde de comida para alimentar tarpons. São enormes peixes que se aglomeram no trapiche e até saltam da água para abocanhar os lanchinhos oferecidos pelos turistas.

Robbie's Marina, Florida, USA

As lembrancinhas que você pode comprar na Robbie’s Marina. Foto: André Orengel

Uma sugestão para almoçar é o Sparky’s Landing (400 Sadowski Causeway Key Colony Beach, FL 33051). O restaurante tem uma linda vista, ambiente descontraído e ótima comida. Funciona direto das 11h às 22h.

Hora da praia

Depois do almoço, relaxe em uma das praias mais bonitas da Florida Keys. Com uma pequena faixa de areia, a Bahia Honda Beach conta com uma vista da história ponte ferroviária Henry Flagler, instalações para piquenique e uma loja de conveniência com lanchonete.

Road trip, Bahia Honda Beach, Florida, USA

A Bahia Honda Beach. Foto: André Orengel

Despeça-se da praia antes das 16h, pois ainda há cerca de 1h30 de viagem até você alcançar Key West. Chegando na ilha, sugiro que vá diretamente ao hotel para fazer o seu check-in e descansar da road trip. Saia do hotel por volta das 19h e vá à mais famosa rua da cidade: a movimentada Duval Street, com diversos bares, restaurantes, sorveterias, lojas de souvenir, galerias entre outros. Para jantar, uma boa opção é o Nine One Five (915 Duval St), que serve excelente e criativa comida contemporânea (o “absurdly addictive aspargus” e o “Wild Salmon” são deliciosos).

Para encerrar o dia, aprenda um pouco sobre os mistérios que envolvem esta ilha no Key West’s Ghosts and Mysteries Tour (das 21h às 21h30). O passeio conta várias histórias macabras sobre mortes e assombrações ocorridas na cidade. Faça a sua reserva com antecedência pelo site da empresa.

 

2o Dia – Museus em Key West

 Comece o dia com o tradicional brunch no disputado Blue Heaven (729 Thomas St, Key West, FL 33040). Saboreie panquecas, omeletes, banana bread, torradas e outras delícias constantes de seu extenso cardápio. A alimentação tem que ser reforçada, porque não almoçar faz parte do plano.

Após, vá para a Ernest Hemingway’s Home (907 Whitehead St, Key West, FL 33040), uma das mais populares atrações turísticas da ilha. Lá, você vai conhecer várias histórias pessoais deste importante personagem da cultura americana em um instrutivo tour por uma de suas residências. Entre elas, a do “último penny”, entregue pelo escritor para a sua segunda esposa (Pauline Pfeiffer) em uma discussão sobre a construção de uma caríssima piscina.

Road trip, Ernest Hemingway Home, Key West, USA

Um dos cômodos da casa de Ernest Hemingway. Foto: André Orengel

Ao sair, continue pela  Whitehead St. (no sentido decrescente da numeração), o nome dado à rodovia US1 neste trecho. Esta estrada é datada da década de 1920 e, com 3.846 km de extensão, cruza a costa leste dos EUA de sul a norte, ligando a cidade de Key West (Flórida) a Fort Kent (Maine), na fronteira com o Canadá. É o suficiente para fazer dela a estrada mais extensa dos EUA nesta direção. Você então passará pelo marco zero desta icônica rota, marcando o seu início (de um lado da rua) e o seu fim (do outro).

Marco zero da rodovia US1. Foto: André Orengel

Um pouco mais de história

Passando duas ruas do marco zero, dobre na Caroline St. e se dirija à Truman Little White House, assim chamada em razão das frequentes visitas do ex-presidente Harry S. Truman (1945-1953) ao local. Atualmente, a casa se trata de um museu que conta, por meio de um tour guiado, a interessante história do imóvel enquanto foi utilizado por Truman e outros presidentes americanos.

Truman Little White House. Foto: André Orengel

Depois de conhecer a casa, retorne à Whitehead St. e continue andando no mesmo sentido, até chegar à Audubon House & Tropical Gardens. Entre nesta casa construída pelo Capitão John Huling Geiger nos anos 1840 no intuito de servir de residência de sua família (que viveu no local por mais de um século). A visita revela como a vida em Key West já foi um dia, expondo em seu interior a história da casa em si e de seus moradores. Este museu também conta com um aposento dedicado ao naturalista John James Audubon, que supostamente haveria visitado a casa quando em Key West realizando os desenhos e estudos exibidos em seu célebre As Aves da América.

Neste ponto, quando estive em Key West, interrompi o passeio para retornar ao hotel e trocar de roupa para jantar no celebrado Latitudes, localizado na Sunset Key. Mas não recomendo este restaurante. Apesar de localizado em uma ilha lindíssima e do serviço impecável, não achei que a comida valesse a pena o preço que cobram. Assim, aproveite o resto do “horário útil” dos museus e visite uma das atrações localizadas nas proximidades. Estão lá o Museum of Art & History at the Custom House (diariamente, das 9h30 às 16h30), Nancy Forrester’s Secret Garden (diariamente, das 10h às 15h) ou a Casa Antigua (diariamente, das 10h às 18h).

Arte de rua e gastronomia

Se os museus estiverem fechados (ou se você não se interessar por eles), aproveite para caminhar pelas redondezas da Mallory Square. A praça costuma estar cheia de músicos, mágicos, malabaristas entre outros artistas de rua, turistas e locais, aguardando para assistir ao pôr do sol, um ritual obrigatório para todos os que visitam a cidade.

road trip, Mallory Square, Key West, USA

Fim de tarde na Mallory Square. Foto: André Orengel

Por fim, retorne à Duval Street e escolha um dos seus restaurantes ou bares para um merecido jantar. Não deixe de provar a key lime pie, servida pela maioria dos estabelecimentos da cidade, que, como o nome diz, é uma torta de limão feita com um tipo desta fruta originária do arquipélago.

 

3º Dia – Everglades

Acorde cedo e tome um bom café da manhã ao sair do hotel. Você vai sair das ilhas e voltar ao continente. Sua primeira parada do dia será no Everglades National Park, após cerca de 3 horas de viagem, para conectar-se mais com a natureza do sul da Flórida.

O parque nacional foi criado para proteger o frágil ecossistema formado por uma ampla rede de florestas e pântanos que abriga diversas espécies de fauna. Entre elas, estão a pantera da Flórida, o peixe-boi e o crocodilo americano, todos ameaçados de extinção. Entre no parque pelo acesso localizado em Homestead (State Road 9336) e pare no centro de visitantes para aprender mais sobre a fauna e a flora do parque. Pegue também um mapa da área e escolha as trilhas que irá percorrer. O site do parque é bem informativo e o ajudará a planejar a sua visita nos mínimos detalhes.

Everglades National Park, Florida, USA, Road trip

Foto: André Orengel

Ao sair do parque, se a fome permitir, tome o rumo de Naples pela US41. Nesta estrada, existem vários estabelecimentos que oferecem passeios de airboat pela Everglades Wildlife Management Area. Fizemos este passeio na Coopertown Airboats (22700 Southwest 8th Street, Miami, FL 33194. Funciona das 9h às 17h50). No dia em que fomos, estava chovendo bastante, o que acrescentou emoção às manobras e diminuiu as chances de encontrar jacarés. Conseguimos encontrar um atravessando o canal, o que foi bem legal. Leve uma capa de chuva caso a previsão do tempo indique a menor chance de chover. Aproveite a parada para almoçar um delicioso hambúrguer na lanchonete do local. A parte triste é que eles mantém alguns animais enjaulados. Por isso não acho o passeio excelente.

Naples

Após o passeio, continue viagem para Naples. Chegando na cidade, vá para a Fifth Avenue South, estacione o carro e caminhe por esta agradável avenida, que tem palmeiras, lojas, sorveterias, galerias, bares e restaurantes. Escolha um para jantar e, depois de comer, vá para o seu hotel.

 

4o Dia – Ringling e Museu Dali

Algo que, para mim, marca uma road trip é a necessidade de acordar cedo por alguns motivos. Primeiro, porque eu considero bem melhor dirigir durante o dia. Em segundo lugar, porque as atrações costumam abrir cedo e fechar cedo, então, para estar onde se quer chegar, há de se começar a dirigir com o sol raiando.

Assim, pegue o carro cedo e rume norte pela I75. Sua primeira parada do dia será no John and Mable Ringling Museum of Art, em Sarasota (5401 Bay Shore Rd, 34243, aberto de 10h às 17h), a cerca de 2hrs de Naples. Quando estivemos lá, chegamos por volta das 11h e acabamos tendo que enfrentar algo em torno de uma hora de fila para comprar os nossos ingressos. Além disso, não conseguimos mais vagas para o tour pela Ca’ d’Zan (residência de inverno de John e Mable, fundadores do museu). Ou seja: reafirmo a necessidade de acordar cedo.

Ca d'Zan, Ringling Museum, Florida, USA

Fachada da Ca d’Zan no Ringling Museum. Foto: André Orengel

Este museu, localizado em um terreno com uma bela vista para o Golfo do México (vimos vários golfinhos saltando da água), é formado por diferentes pavilhões interligados por lindos jardins. Não deixe de conferir os pavilhões dedicados ao circo e à coleção de arte, com destaque à ala japonesa.

A maior coleção de Dalí fora da Europa

Você pode almoçar no local ou comer algo mais barato pela estrada. De todas as formas, sugiro que já esteja dirigindo e devidamente alimentado no máximo às 14h (caso o dia não seja uma quinta-feira). Você estará a mais ou menos uma hora de distância de seu próximo destino: o Museu Dali (One Dali Blvd, St. Petersburg, FL 33701, aberto diariamente das 10h às 17h e às quintas-feiras até às 20h).

Curiosamente, a maior compilação de obras de arte de Salvador Dalí fora do continente europeu está localizada neste museu, em São Petersburgo, Flórida. São mais de 2.100 peças. A fachada do prédio, com uma bolha de vidro que abraça uma caixa de concreto cinza, é uma atração em si. No entanto, entre primeiro no museu e reserve as fotos para a saída (caso o dia não seja uma quinta-feira).

Fachada do Museu Dalí na Flórida. Foto: André Orengel

Ao começar a sua visita, não deixe de solicitar um audioguia na base das escadas. Ele contém informações interessantes sobre as obras em exposição e sobre a  história do museu. Quando estivemos lá, havia uma exposição temporária muito legal que mostrava a relação entre o Walt Disney e o Dali, o que realmente mudou a nossa visão sobre toda a obra cinematográfica da Disney.

Caso não esteja muito cansado, você pode aproveitar as últimas horas do dia para realizar algumas compras no Ellenton Premium Outlets (5461 Factory Shops Blvd Ellenton, FL 34222-4100), localizado a 30 minutos do Museu Dali. Outra opção é encerrar o dia jantando no 400 Beach Seafood and Tap House (400 Beach Dr NE, São Petersburgo, FL).

 

5º Dia – Busch Gardens

Dedique o seu quinto dia inteiramente ao Busch Gardens, em Tampa. Ele é um excelente parque de diversões que conta com algumas das melhores montanhas russas da Flórida, além de diversas outras atrações. O destaque é a grande variedade de animais (mais de 300 espécies) constantes de seu zoológico.

Neste ponto da viagem, duas opções se descortinam a sua frente. 1) você pode seguir viagem para mais dois dias de estrada até chegar a New Orleans. Ou 2) estender a viagem a Orlando, para curtir os parques temáticos da Disney, Universal e Sea World, para depois seguir até New Orleans.

Caso escolha a primeira opção, aproveite que o parque costuma fechar cedo e ganhe alguns quilômetros passando a noite, por exemplo, no Hampton Inn Brooksville Dade, a 65km do Busch Gardens. Se você for na segunda opção, dirija para o seu hotel em Orlando. Se couber no seu orçamento, fique em um dos resorts dentro da Disney World. Faz toda a diferença, especialmente se você estiver com crianças.

 

6o Dia – Tallahassee e Panama City Beach

Dirija do seu hotel até Tallahassee, a capital do Estado da Flórida. Você deverá chegar pela hora do almoço, então vá direto para o Kool Beanz Cafe (921 Thomasville Road, Tallahassee, Florida 32303).

Em seguida, visite o novo Capitol Building (400 S Monroe St, Tallahassee, FL 32399, aberto de segunda a sexta das 8h às 17h). Ele fica em um arranha-céu construído em 1977 para substituir o antigo Capitol de 1845, situado bem em frente. O antigo Capitol (aberto das 9h às 16h30) conta com oito ambientes dedicados a contar a história política da Flórida, com mobiliários da virada do século 20, valendo a pena visitá-lo.

Capitol Building, Tallahassee, Florida, USA

Fachada do Capitol Building em Tallahassee. Foto: André Orengel

Do outro lado da Apalachee Parkway, fica o Union Bank Museum. Ele está instalado no prédio de banco mais antigo da Flórida, que já sediou o Freedman’s Savings and Trust Company, especializado no atendimento de escravos emancipados. O museu hoje expõe uma pequena mas interessante coleção de artefatos e documentos que refletem a história e cultura negra do sul dos EUA.

Se você gosta de antiguidades, brechós e arte moderna, dê uma passeada pelo Railroad Square Art Park (602 Mc Donnell Dr, Tallahassee, FL 32310), que tem tudo isso e mais.

Não perca a noção do tempo, pois você ainda precisa dirigir mais 171km até o próximo destino, e o objetivo é chegar lá antes do pôr do sol. Assim, retorne à estrada e dirija até o Schooners (5121 Gulf Drive, Panama City Beach, FL 32408), um bar/restaurante/beach club que fica na beira da praia de Panama City. O lugar é muito disputado, e entendemos o porquê. Ele tem uma localização privilegiada, com um vento que não cessa, um ar bem animado e uma comida deliciosa (experimente o shrimp and grits).

 

7º Dia – Praias e história militar

No último dia desta road trip você sairá da Flórida e passará pelos estados do Alabama e Mississipi até chegar em New Orleans, na Louisiana. Para celebrar, você poderá escolher duas entre as três opções a seguir.

Primeiramente, se você gosta de praia, esta é a oportunidade de conhecer uma das regiões praianas mais movimentadas do sul dos Estados Unidos. Caso curta um ambiente mais agitado, escolha um dos pontos ao longo da Front Beach Road, que começa em Panama City Beach e se estende ao oeste. Se você prefere praias mais tranquilas e isoladas, vá para Grayton Beach ou à Gulf Island National Seashore.

Another Broken Egg, Road Trip, USA

O seu café da manhã no último dia da road trip: Another Broken Egg. Foto: André Orengel

De uma forma ou de outra, comece o dia com um saboroso brunch no Another Broken Egg, que conta com vários pontos espalhados pelo sul dos EUA. Fomos no localizado próximo de Grayton Beach (51 Uptown Grayton Cir, Santa Rosa Beach, FL 32459). Depois de dar uma olhada na praia de Grayton, prossiga até Pensacola. Procure dirigir o mais perto possível do litoral, para desfrutar da vista do mar e do clima descontraído.

National Naval Aviation Museum

National Naval Aviation Museum

Foto: André Orengel

Em Pensacola, cidade historicamente ligada às Forças Armadas Americanas, está localizado o National Naval Aviation Museum (1750 Radford Blvd., NAS Pensacola, FL 32508, aberto das 9h às 17h). Trata-se da maior coleção de aviões em exposição em todos os EUA (mais de 150 exemplares). São todos originais, ou seja, já voaram algum dia (com exceção de uma réplica que fica do lado de fora da entrada do museu). É realmente imperdível para quem está na região. Facilmente se passa o dia inteiro nesse museu lendo a história de cada uma dessas aeronaves. Mas fique de olho no relógio, porque a próxima atração é igualmente impressionante: o USS Alabama.

USS Alabama

Foto: André Orengel

Continue viagem rumo a oeste, cruzando a divisa entre os estados da Flórida e do Alabama até alcançar o USS Alabama Battleship Memorial Park. Aqui está ancorado o enorme navio de 45 mil toneladas que chegou a abrigar uma tripulação de 2500 corajosos americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Esta embarcação conduziu a esquadra à baia de Tóquio, na data de 05/09/1945, encerrando com isso a campanha norte-americana no Pacífico. O tour leva a quase todos os cômodos do navio, explicando os propósitos e a rotina dos marinheiros durante a guerra.

road trip - mississippi

Foto: André Orengel

Terminada a visita, cruze a divisa entre os estados do Alabama e do Mississipi e jante no Slap Ya Mommas (1830 Beach Blvd. Biloxi, MS 39531) para uma autêntica comida sulista. Por fim, siga para o seu hotel em New Orleans, cruzando mais uma divisa e finalizando a sua road trip.

Em New Orleans, com Uber, taxi e ótimo transporte público, você não precisará do carro. Entretanto, antes de devolvê-lo à locadora, sugiro que faça outro passeio. Um bate-e-volta às plantations localizadas à beira do rio Mississipi entre New Orleans e Baton Rouge. Visitei a Houmas House Plantation and Gardens (que tem um ótimo restaurante) e a Oak Alley Plantation. Gostei muito de ambas as visitas e recomendo fortemente as duas. Acesse o site de cada uma para coordenar os seus horários.

O mapa completo

Para acessar o mapa da viagem no Google Maps no seu navegador, é só clicar no link: https://www.google.com/maps/d/viewer?mid=1NPAffAaKi37_ub-Y-HVWYojru4k&hl=pt-BR&ll=27.69473878694306%2C-85.608482&z=6

Para quem quiser seguir viagem

Já falamos de New Orleans aqui no blog, com uma sugestão de roteiro de três dias na cidade. Se você quiser esticar sua viagem pela capital do jazz, é só colar nas nossas dicas!