Lyon é daquelas cidades que fazem você se sentir em casa com poucos dias de estadia. E mesmo não sendo tão grande quanto as capitais europeias, oferece um monte de atrações de todos os tipos. Passeios gratuitos, museus impressionantes e uma vida ao ar livre. Além, é claro, de uma gastronomia de primeira que vai merecer um post à parte.

Janaína e eu ficamos apenas três dias em Lyon na nossa viagem de fevereiro de 2017. Não conseguimos ir a algumas das grandes atrações (como o Musée des Confluences ou a Fête des Lumières, realizada sempre em dezembro). Mas tivemos dias intensos, em que deu tempo de vivenciar boas amostras da cidade. Enumero aqui alguns dos melhores lugares que visitamos.

 

Place Bellecour

Foto: Leonardo Aquino

É o principal ponto de encontro da cidade. Dentro da área dela, ficam alguns ícones da cidade: as estátuas do rei Luís XIV e do escritor lyonnais Antoine de Saint-Éxupery ao lado do seu Pequeno Príncipe, além de uma roda gigante. Ao redor da praça, estão cafés, restaurantes e várias ruas de comércio, além do escritório de turismo de Lyon.

Saindo da Bellecour para as direções leste e oeste, você encontra os dois rios que cortam a cidade: o Rhône e o Saône. Perto da praça, há vários pontos com belas vistas da cidade às margens desses rios.

Vista do rio Saône a poucos metros da Place Bellecour. Foto: Leonardo Aquino

Vieux Lyon

Foto: Leonardo Aquino

É o bairro mais antigo da cidade, situado no 5º arrondissement. Ele tem um traçado medieval, com ruas estreitas e construções muito bem preservadas. Não à toa, a região é considerada Patrimônio Mundial pela Unesco. O epicentro de Vieux Lyon é a catedral de Saint-Jean Baptiste. Ao redor dela, as ruelas são labirintos. Mas se perder por lá não é tão mau negócio assim: há vários bares, restaurantes, museus e belas vistas da cidade.

Em Vieux Lyon, uma particularidade arquitetônica é a presença dos traboules. Esse nome é dado a passagens que levam de uma rua a outra cruzando imóveis por dentro. Por mais que os traboules façam parte de casas particulares, eles são abertos ao público.

Foto: Leonardo Aquino

Um dos lugares mais legais de se visitar é o Musée de Miniatures et du Cinéma. Já falamos sobre ele no post sobre os museus dedicados ao cinema na Europa. Ele tem no acervo peças que levam a uma viagem pelos efeitos especiais: maquetes, figurinos, armas e muito mais. Além disso, tem dois andares dedicados às miniaturas de cenas do cotidiano.

Musée de Miniatures et du Cinéma. Foto: Leonardo Aquino

Colina da Fourvière

Foto: Leonardo Aquino

Com 120 metros de altura, é um dos lugares mais representativos da história de Lyon, principalmente no que se refere a fé. A primeira capela no alto da colina foi construída na Idade Média e destruída durante as Guerras Religiosas da França no século 16. Ao longo dos séculos seguintes, a colina foi destino de procissões por diversos motivos. Os lyonnaises subiam a Fourvière para pedir proteção contra pestes, epidemias e guerras.

Se antes a subida era feita a pé, hoje em dia não é preciso fazer tanto esforço. Um funicular leva passageiros até o topo numa viagem de menos de 2 minutos. A estação do bondinho fica junto à estação Vieux Lyon do metrô, na parte de baixo da colina. É preciso ter um bilhete do transporte público.

O bondinho que sobe a colina. Foto: Divulgação TCL

Hoje a colina tem como principal cartão postal a Basilique de Notre Dame de Fourvière. A igreja, que tem o status de basílica desde 1897, é mais do que um espaço de peregrinação. Também recebe concertos e conferências e tem uma torre com uma vista incrível de Lyon. A entrada na igreja é grátis. Mas para uma visita completa e guiada (incluindo a subida à torre), a tarifa é € 10. Para outras informações, acesse o site: http://www.fourviere.org/basilique/visites-guidees/visites-insolites-individuels/

Foto: Leonardo Aquino

Foto: Leonardo Aquino

Mesmo sem pagar pela visita guiada, é possível ter uma vista panorâmica da cidade. Ao lado da Basílica, há um mirante com o rio Saône e Lyon inteira aos pés.

A vista incomparável de Lyon do alto da colina da Fourvière. Foto: Leonardo Aquino

Musée Gallo-Romain

Outro lugar que você deve conhecer na Fourvière é o Musée Gallo-Romain. O museu possui uma coleção arqueológica do século 16 em diante: estátuas, moedas, cerâmicas e muito mais. Mas é na área externa que fica a atração mais estonteante: o Theâtre Antique de Fourvière. É um anfiteatro romano datado dos primeiros séculos depois de Cristo. Absurdamente bem preservado, ele tem capacidade para 10 mil pessoas. No verão, recebe a temporada de shows Les Nuits de Fourvière. Entre os artistas que se apresentaram nos últimos anos, estão nomes que vão de Elton John a The XX, de Radiohead a Patti Smith, de Sigur Rós a Burt Bacharach.

Theâtre Antique de Fourvière. Foto: Leonardo Aquino

Parc de la Tête D’Or

Foto: Leonardo Aquino

É onde o povo de Lyon espairece. Pistas bem calçadas recebem corredores e ciclistas. Áreas verdes viram locais de piqueniques. Entre as outras atrações, estão o jardim botânico, orquidários, zoológico e um velódromo. Além disso, o parque recebe eventos como espetáculos culturais e exposições.

 

Institut Lumière

Foto: Leonardo Aquino

Lyon tem uma parcela fundamental de responsabilidade na gênese do cinema. É a cidade onde nasceram os irmãos Louis e Auguste Lumière, os inventores do cinematógrafo. A casa onde a família Lumière viveu hoje abriga o Instituto que conta um pouco do início dessa história: os primeiros equipamentos, os primeiros filmes e os investimentos que os irmãos fizeram para popularizar a criação deles. Falamos do Institut Lumière no post sobre os museus de cinema.

 

 

Parc Olympique Lyonnais

Foto: Leonardo Aquino

O futebol também é um motivo de orgulho da cidade graças ao Olympique Lyonnais. O clube, que até bem pouco tempo atrás era uma equipe de meio de tabela na liga francesa, ganhou sete campeonatos nacionais seguidos entre 2002 e 2008. O heptacampeonato tem uma grande participação de brasileiros: Cris, Cláudio Caçapa, Fred e Michel Bastos, por exemplo. Mas nenhum é tão ídolo quanto Juninho Pernambucano, considerado o melhor jogador da história do clube.

Juninho é um dos ex-jogadores homenageados na esplanada do estádio. Foto: Leonardo Aquino

A época de grandes conquistas do Lyon foi vivida no estádio Gerland. Mas hoje o clube tem casa nova: o Stade des Lumières, parte integrante do Parc Olympique Lyonnais. A arena foi inaugurada em 2016, coincidindo com a Eurocopa realizada na França. Com capacidade para 59.286 pessoas, ela fica situada fora da cidade, no município de Décines-Charpieu. Em dias de jogos, há um esquema de transporte público que deixa o visitante numa estação de tram a poucos metros da esplanada do estádio.

Foto: Leonardo Aquino

Para acompanhar a agenda de eventos (jogos e shows), acesse o site do clube: http://www.olweb.fr/fr/club/agenda-316.html. Há visitas guiadas ao estádio, que vão de € 9 a € 100. Outras informações aqui: http://www.parc-ol.com/visite-stade/

 

Rue de la République

Foto: Leonardo Aquino

Para quem tiver um espaço na agenda em Lyon para compras, este é o lugar. É uma rua que tem uma parte de sua extensão fechada para carros. Ela reúne algumas das principais lojas que você encontraria em vários shoppings pelo mundo afora, como Levi’s, H&M, Fnac, Sephora…

Procurando bem, você acha alguns tesouros. A Janaína recomenda a Yves Rocher, que em Lyon tem preços muito mais baixos que os praticados no Brasil. Já eu curti muito uma loja chamada Nature et Découvertes, que tem artigos para viagem e de design. Outra dica: as ruas transversais à République também têm lojas bem legais.