Depois de explicar por que escolhemos as Ilhas Canárias como destino de férias e como é a chegada à ilha de Gran Canária, tá na hora de enumerar as dicas do que fazer por lá.

Comer

Allende (restaurante): especializado em tapas espanholas, foi o melhor jantar da nossa passagem por Gran Canária. Experimentamos as berinjelas fritas com mel de palma e a cazuela de polvo, ambos incríveis! O ambiente é ótimo para qualquer ocasião e a carta de vinhos é bem servida. O preço é acima da categoria “lanche do mochileiro” e abaixo da “impossível de pagar”. Contando com o vinho, nossa conta deu cerca de 20 euros por pessoa. O Allende está em três endereços e, no site do restaurante, você pode ver fotos bem legais e os cardápios atualizados.

As berinjelas fritas ao mel do Allende

Rockabilly (hamburgueria): decoração que faz jus ao nome e detalhes divertidos como a conta sendo trazida numa capa de filme VHS. A nossa veio na de “Psicopata Americano”. Os sanduíches são suculentos e saborosos. Experimentei o Horny, que tem queijo de cabra e cebola caramelizada. Os sanduíches custam de 6 a 9 euros. A Rockabilly não tem site, mas tem uma página no Facebook cheia de informações.

Sanduba + cerveja na Rockabilly

Sanduba + cerveja na Rockabilly

Dulcería Nublo (doceria): fica na cidade de Tejeda e tem o cardápio focado em amêndoas, uma especialidade da região. Tem de tudo com amêndoas: tortas, biscoitos, folhados… A unidade custa 1 euro. Se você almoçar em algum restaurante próximo, deixe a sobremesa para cá. Também não tem site, mas só a página no Facebook.

Dulceria Nublo, em Tejeda, é especializada em amêndoas: uma dica que catamos no Lonely Planet

Vitrine da Dulceria Nublo, em Tejeda

Visitar

Vegueta: é o bairro histórico de Las Palmas. Tem ruas estreitas e as mansões canárias, além de abrigar o centro comercial (cujo epicentro é a rua Triana, exclusiva para pedestres) e uma grande parte da vida noturna e gastronômica. O destaque é a Casa de Colón. Diz-se que Cristóvão Colombo parou por ali antes da expedição de descoberta da América em 1492. Verdade ou mito, a casa é um dos principais exemplares da arquitetura canária e tem um acervo que remete às viagens do navegador italiano.

Fachada da Casa de Colón

Fachada da Casa de Colón

Museo Elder de la Ciencia y la Tecnología – somos alucinados por museus de ciência e este é pura diversão. Há muito conteúdo sobre astronomia, física, robótica e muitas outras coisas que parecem saídas do Mundo de Beakman. Logo na entrada, tem uma máquina de movimento infinito, daquelas com bolinhas que rolam sem parar depois de bater em geringonças. É um programaço para quem viaja com crianças. Além de toda a interatividade, há um cinema 3D cujos filmes estão incluídos no preço do ingresso. A entrada custa 6 euros, mas professores, pesquisadores, meios de comunicação e guias turísticos não pagam. Confira o serviço completo no site do Museu.

O Museu Eider é praticamente uma versão canária do Mundo de Beakman

O Museu Eider é praticamente uma versão canária do Mundo de Beakman

Pegando a estrada em Gran Canária

Vega de San Mateo: é uma cidade de menos de 10 mil habitantes que fica a 24km de Las Palmas de Gran Canária. Tem duas coisas bem legais para ver lá. Uma é o centro histórico, com casarões de fachadas de vários estilos. Do neoclássico ao canário típico. Outra atração é o mercado agrícola, um dos mais famosos da região, que funciona apenas aos sábados e domingos.

Não era dia de mercado quando fomos :(

Não era dia de mercado quando fomos 🙁

Tejeda: cidade que fica a 33km de Las Palmas de Gran Canária e diz ostentar o título de “el pueblo más lindo de España”. Um dia a gente volta para conhecer várias outras e tirar a prova, mas Tejeda vale a visita. Primeiro porque a chegada é uma aventura: estrada sinuosa que vai subindo do nível do mar a pouco mais de 1000 metros de altitude. Segundo porque a parte turística é realmente bonita: ruas de paralelepípedos e casarões com as varandas típicas da arquitetura canária. O ponto turístico mais visitado é a Cruz de Tejeda, de onde se pode ver praticamente toda a ilha: o litoral, o pico do Roque Nublo e outras cidades vizinhas.

Visão geral do centro histórico de Tejeda

Visão geral do centro histórico de Tejeda

Mirador Degollada de Las Yeguas: saindo de Tejeda em direção ao litoral sul, você vai passar por esse mirante. Reserve alguns minutos, pois a vista é de tirar o fôlego. É possível ver os planaltos, as montanhas e o oceano atlântico, ainda que um pouco longe. Garantimos que está no top 5 de paisagens que vimos nas Canárias.

A impressionante vista do Degollada de las Yeguas

A impressionante vista do Degollada de las Yeguas

Maspalomas: é o balneário mais visitado da ilha de Gran Canária. O movimento é grande principalmente ao redor da Playa del Ingles. A orla é ótima para caminhar e pegar o ventinho do final da tarde. Mas, se você procura algo distante da vibe ultraturística, melhor guardar o seu tempo para outras partes da ilha.

Um dia de sol em Maspalomas combina com sangría gelada

Um dia de sol em Maspalomas combina com sangría gelada

Comprar

Centro Comercial Las Terrazas: se você não conseguir tirar o dia de compras do seu roteiro de viagem, reserve algumas horas para este shopping que fica a cerca de 13km saindo de Las Palmas. Ele tem uma zona outlet, mas não é outlet enganação. São descontos realmente vantajosos em lojas como Levi´s, El Corte Inglés, Lacoste, Calvin Klein, Nike e Asics. Há ainda uma grande loja da Media Markt, especializada em eletroeletrônicos que também tem CDs, discos de vinil e filmes. Veja a lista completa de lojas no site do Las Terrazas.

33 Revoluciones: para quem curte garimpar discos de vinil, este é um bom lugar. O acervo é bem generoso, especialmente para quem curte psicodelia e rock progressivo. Mas se você procura relançamentos ou álbuns recentes, melhor passar adiante. A loja só trabalha com discos usados. Confira o site da loja.