A Inglaterra inventou o futebol como o conhecemos e hoje tem uma das ligas nacionais mais ricas do mundo. São clubes milionários e multicampeões repletos de astros de várias partes do mundo. Mas, à parte dos cifrões da Premier League, a capital inglesa oferece oportunidades bem interessantes para aqueles viajantes que, como eu, adoram conhecer um estádio novo a cada cidade visitada. Na minha visita a Londres, uma das minhas escolhas foi o Craven Cottage.

Estive na capital em junho de 2015 para uma viagem de cinco dias. Antes mesmo de embarcar, escolhi três estádios para visitar. O primeiro da lista foi um clássico: Wembley, casa da seleção inglesa de futebol. O segundo foi o de um clube da Premier League: Stamford Bridge, casa do Chelsea, que virou gigante depois de ser comprado pelo bilionário russo Roman Abramovich no início do século 21. E o terceiro foi o estádio do Fulham FC, que inspira este post e estas lembranças que compartilho com vocês.

A panorâmica no estádio do Fulham é uma das mais fáceis de enquadrar sem perder nada

A panorâmica no estádio do Fulham é uma das mais fáceis de enquadrar sem perder nada

O Fulham é um clube que já andou vários anos pela Premier League. Chegou a ser vice-campeão da Liga Europa em 2010, mas hoje está na Championship, a segunda divisão inglesa. Em 2016, aliás, quase caiu para a terceira. Mas seu estádio, Craven Cottage, é o símbolo de um país cuja ligação com o futebol é muito mais intensa do que os cifrões de seu rico campeonato.

Fatos sobre Craven Cottage

1) É o estádio mais antigo de Londres em funcionamento. Sua construção data de 1896.

2) O estádio fica à margem do Tâmisa. Existe até uma tribuna chamada Riverside Stand. Nela, os torcedores podem contemplar o rio enquanto tomam uma cerveja no intervalo do jogo.

behindriversidestand

Atrás da Riverside Stand, o Tâmisa

3) A fachada é tombada pelo patrimônio histórico inglês. Não pode ser modificada e assim nunca foi, apesar das várias reformas que foram feitas ao longo de 120 anos de existência.

A fachada de Craven Cottage, marcada pelos tijolinhos aparentes

A fachada de Craven Cottage, marcada pelos tijolinhos aparentes

4) O clube mantém a tribuna original, a única que existia na época em que o estádio foi colocado de pé. Ela é conhecida como Rabbit Hutch (algo como “Toca do Coelho”). Lembra vagamente a tribuna de um jóquei clube ou hipódromo.

A famosa Rabbit Hutch, tribuna que existe desde a construção do estádio

A famosa Rabbit Hutch, tribuna que existe desde a construção do estádio

Passeios guiados

O clube oferece passeios guiados, que levam a locais de Craven Cottage que ficam inacessíveis ao torcedor comum, mesmo em dias de jogos. Durante uma hora e meia, a guia leva os visitantes aos vestiários, sala do manager, locais de coletivas de imprensa e muito mais. Depois de conhecer grandes arenas europeias e até mesmo os estádios brasileiros da Copa do Mundo, é impressionante perceber a diferença. É tudo menor, mais simples. Futebol em estado puro e bruto.

O vestiário do Fulham é simples, porém honrado

O vestiário do Fulham é simples, porém honrado

Imagina o Peter Crouch (2m01) dando entrevista aqui

Imagina o Peter Crouch (2,01m de altura) dando entrevista aqui

História e segurança

Craven Cottage tem um recorde de público de 49.335 pessoas, registrado em 1938. Mas tragédias como a de Hillsborough, em 1989, fizeram com que os principais estádios ingleses precisassem mudar. Os assentos passaram a ser obrigatórios e o estádio do Fulham chegou ao número atual de 25.700 como capacidade máxima.

Entretanto, o cuidado com o passado está presente até mesmo nessa adaptação aos padrões de segurança para os torcedores. Em algumas tribunas (inclusive a da imprensa, onde jornalistas cobrem os jogos), há cadeiras de madeira. Elas são usadas desde o início do século 20.

Dica para quem vier cobrir um jogo em Craven Cottage: traga uma almofada

Dica para quem vier cobrir um jogo em Craven Cottage: traga uma almofada

Curti o detalhe do THE antes do nome do clube

Curti o detalhe do THE antes do nome do clube

Homenagem

Do lado de fora de Craven Cottage, uma estátua homenageia o jogador mais importante da história do Fulham. O atacante Johnny Haynes jogou 18 temporadas no clube entre 1952 e 1970. Vestiu a camisa da seleção inglesa 56 vezes, 22 como capitão. A estátua foi construída depois da morte de Haynes, num acidente de carro em 2005, aos 71 anos.

A estátua de Johnny Haynes na fachada de Craven Cottage

A estátua de Johnny Haynes na fachada de Craven Cottage

O que Michael Jackson tem a ver com o estádio?

Falando em estátua, um outro exemplar é o tema de uma anedota histórica do Fulham e que é contada sem nenhum constrangimento pela guia do passeio. Uma estátua de Michael Jackson (sim, ele mesmo, o rei do pop) chegou a fazer parte da fachada de Craven Cottage. A história também envolve o bilionário egípcio Mohamed Al Fayed, pai de Dodi, namorado da princesa Diana que morreu no mesmo acidente de carro que ela em 1997. Al Fayed chegou a ser o dono do Fulham na virada do século 20 para o 21. Amigo de Michael Jackson, o magnata chegou a levar o cantor para assistir a um jogo no estádio em 1999.

Em 2009, Michael morreu e Al Fayed resolveu homenageá-lo de um jeito que irritou toda a torcida do Fulham: com uma estátua em frente ao estádio. Apesar da resistência, o elemento estranho ao futebol inglês continuou em Craven Cottage até ser retirada em 2014.

Tão natural quanto um elefante no topo de um edifício

Tão natural quanto um elefante no topo de um edifício

Como chegar

Chegar ao estádio de Craven Cottage é muito fácil. É só pegar a District Line do metrô londrino e descer na estação Putney Bridge. Atenção que existe uma pegadinha. Há uma estação chamada Fulham (na verdade, Fulham Broadway) na mesma District Line. Mas, por mais que o nome leve você a pensar diferente, esta é a estação mais próxima de Stamford Bridge, o estádio do Chelsea.

Depois de descer da estação, são uns 20 minutos de caminhada. Mas o passeio tem um astral bem leve: o caminho até o estádio cruza o Bishop´s Park, um belo parque que fica à margem do Rio Tâmisa e termina exatamente onde a área do Fulham começa. Além disso, a vizinhança é muito simpática, com várias fachadas clássicas e coloridas na área residencial.

O simpático e aprazível Bishop´s Park

O simpático e aprazível Bishop´s Park

Não vá se perder por aí

Não vá se perder por aí

Quem curte esse estilo de casinhas vai ter muito o que fotografar nas ruas residenciais perto de Craven Cottage

Quem curte esse estilo de casinhas vai ter muito o que fotografar nas ruas residenciais perto de Craven Cottage

A All Saints Church, que fica no caminho entre o metrô e o estádio

A All Saints Church, que fica no caminho entre o metrô e o estádio

Dias e horários

Craven Cottage está aberto todos os dias da semana. Mas, como o Fulham não é exatamente a primeira preferência dos turistas que vêm a Londres, os passeios guiados não são realizados todos os dias. Os dias dependem muito da tabela do campeonato, mas os grupos costumam ser formados às sextas, sábados ou domingos. O horário de início é sempre o mesmo: 11:15 da manhã. E o preço é mais em conta que os dos outros estádios: 15 libras. O link para ver o calendário de visitas é este.

Faixa bônus

Ao sair da visita, caso você seja entusiasta de uma boa cerveja tirada na pressão, há um pub bem próximo ao estádio que costuma ser frequentado pelos torcedores do Fulham. Ele se chama The Eight Bells e tem um ótimo atendimento e ambiente.

O recado do The Eight Bells é dado logo na chegada: seja legal

O recado do The Eight Bells é dado logo na chegada: seja legal

Que tal uma Guinness Extra Cold?

Que tal uma Guinness Extra Cold?

img_0777

Faixa bônus 2: a Seleção Brasileira jogou uma vez em Craven Cottage. Foi em 5 de setembro de 2011, um amistoso contra Gana. Deu Brasil: 1×0, gol de Leandro Damião.